José Pedro Coelho Neto ‘Sabiá’ será o novo nome da Escola José Sarney de Cidelândia

José Pedro Coelho Neto ‘Sabiá’ será o novo nome da Escola José Sarney de Cidelândia

previous arrow
next arrow
Slider

O processo de escolha do novo nome para a Escola José Sarney aconteceu nesta quarta-feira (26) , no período de 08hs a 17hs, na Sede do SINDSEPUC – Sindicato dos Servidores Públicos de Cidelândia.

A medida tornou-se necessária para está em conformidade com a PEC 05/2018, aprovada em Julho de 2019, que ‘proíbe colocar nomes de pessoas vivas a órgãos e logradouros públicos’. Por essa razão, dois nomes foram disponibilizados como opções para essa mudança.

Os nomes dos pioneiros da cidade José Pedro Coelho Neto (Prof. Sabiá) e Furtunato Caetano Horas foram postos em votação, onde os pais de alunos, alunos, professores e funcionários da referida escola puderam comparecer a Sede do Sindicato dos Servidores para exercerem o direito do voto.

Após o encerramento, ás 17hs, a comissão eleitoral, com os fiscais, iniciaram a contagem e apuração dos votos. Ao todo, 492 votos, sendo 1 voto em branco/nulo. O nome de José Pedro Coelho Neto (Sabiá) foi o escolhido com 326 votos (66,5%) e o nome de Furtunato caetano Horas com 165 votos (35,5%), ficando em segundo lugar. A Escola passa a se chamar Unidade Integrada José Pedro Coelho Neto (Professor Sabiá). 

A comissão eleitoral nesse processo foi presidida pelo professor Mauro Sousa dos Santos, auxiliado por Jaqueline Silva Brito e Darlânia Oliveira Silva; equipe essa que fez um grande trabalho durante todo o processo eletivo.

Conheça um pouco da história do Professor Sabiá extraída de um trabalho acadêmico feito por Elivan Braz no ano de 2006 e apresentado ao curso de jornalismo da Universidade Estadual do Maranhão. E que, por ocasião do processo da troca do nome da escola, recebeu a contribuição da Professora Izabel e de Orlando Silva com as devidas atualizações que mencionam até o falecimento do homenageado.

Onde canta o “Sabiá”?

José Pedro Coelho Neto, popularmente conhecido como Professor “Sabiá”, – nome que segundo ele, herdara dos amigos quando morava em Lago do Junco-MA, por fazer serenata e recitar versos, foi o primeiro professor a colocar os pés em Cidelândia.

No ano de 1969. A recente povoação formada em função da instalação da Companhia Industrial de Desenvolvimento da Amazônia (CIDA), – que mais tarde deu origem ao nome do Município (CIDA+LÂNDIA), chamou sua atenção a ponto de se oferecer para dar aulas aos filhos dos pioneiros

Funcionário da Secretaria de Educação de Imperatriz, não pensou duas vezes e providenciou sua transferência para a terra onde viveu até a data de sua morte. Aqui resolveu fazer morada e juntamente com os pais de alunos construiu um barracão, e por intermédio de um extinto projeto chamado João de Barro da Prefeitura de Imperatriz e do Governo do Estado implantou e lecionou para as séries da alfabetização ao quarto ano primário.

Até a construção da primeira escola, em 1979, “Sabiá” exerceu o ofício de professor, encarando as mais diversas dificuldades. Como se não bastasse o baixo salário, que sempre recebia com atraso, tinha que ir a pé pela mata até Imperatriz para recebê-lo, o que era um grande desafio pelos inúmeros riscos e pela presença de indígenas. Às vezes, conseguia carro à altura do Km 1600 da BR-010.

Cansado da excessiva jornada de trabalho e da falta de respeito, “Sabiá” abandona a docência, mas com a sentimento do dever cumprido, pois grande parte de seus alunos puderam continuar os estudos e alcançar formação superior.

Mas quem tanto contribuiu com a educação de Cidelândia, nunca ocupou sequer um lugar de honra na administração do município. “Infelizmente eles têm preconceito contra negro, velho e pobre”, disse ele com tristeza ao se reportar aos administradores da época.

Viveu da aposentadoria rural, benefício concedido pela idade, já que não conseguiu o benefício por tempo de serviço. Foram mais de 50 anos vendo o nascer e o pôr do sol do quintal da mesma casa, que fica ao lado da prefeitura de Cidelândia.

ENTREVISTA: Em resposta à entrevista concedida a Elivan Braz, Professor Sabiá falou de perspectivas, projeto e admiração.

PERSPECTIVA – “Naquele tempo, eu era quase um doutor, todos me procuravam até para passar remédio; hoje poucos me visitam, mas tenho esperança de dias melhores”.

PROJETO – Para Sabiá, o município que adotou como seu, precisaria se comprometer mais com o setor educacional: valorizar seus professores e implantar escola profissionalizante para o ensino de letras e artes.

ADMIRAÇÃO – O Professor Sabiá, sempre nutriu uma profunda admiração pelos professores de Cidelândia, em especial pelo Pe. Cícero. “O admiro, em primeiro lugar, como padre; segundo, como intelectual, e terceiro, como professor dos professores”, disse isto em reconhecimento a Cícero Marcelino de Melo, diretor e professor do Centro de Ensino Isaura Amorim.

Quem foi o Sabiá?

José Pedro Coelho Neto, nasceu em Loreto-MA no dia 23 de abril de 1930 e faleceu em Cidelândia no dia 13 de julho de 2019. Foi o primeiro professor de Cidelândia, e tendo apenas o 2º grau prestou um serviço de um verdadeiro Mestre. Exerceu a docência com garra e determinação por 22 anos. Pai de 12 filhos, envelheceu ao lado da mulher de sua mocidade, Maria da Paz Avelino Coelho. Um exemplo a ser seguido por seus alunos e pessoas que conhecem a sua história.

Foto em vida do Professor Sabiá