SINTRASEMA convoca servidores para carreata reivindicar direitos trabalhistas ignorados pela gestão de Açailândia

SINTRASEMA convoca servidores para carreata reivindicar direitos trabalhistas ignorados pela gestão de Açailândia

previous arrow
next arrow
Slider

A Diretoria Executiva do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Açailândia/MA – SINTRASEMA, cumprindo com a deliberação da Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 10 de dezembro de 2019, convoca respeitosamente todos os Servidores Públicos Municipais de Açailândia, para participar de uma ‘CARREATA PELA DIGNIDADE E RESPEITO DO SERVIDOR’, nesta sexta-feira (13) de dezembro de 2019, ás 08h da manhã, com concentração na Praça do Pioneiro, para reivindicar direitos trabalhistas dos servidores públicos.

São inúmeros os descasos da gestão de Aluísio, por fim, foi aprovado na ‘calada’ da noite uma lei municipal que prejudica de forma contundente, os servidores no que dispõe a estrutura administrativa para a Previdência Social.

De acordo com o Sindicato, inúmeros direitos dos servidores públicos vem sendo ignorados de forma descabida. Dentre as reivindicações estão:

01) – PCCR – Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da Administração, Educação e Saúde;
02) – Eleições dos Gestores das Unidades Escolares;
03) – Precatórios do FUNDEF;
04) – Repúdio da Aprovação da Lei Municipal n° 10, de 26 de novembro de 2019 que Dispõe sobre a Estrutura Administrativa do Instituto de Previdência Social dos Servidores do Município de Açailândia – IPSEMA, e dá outras providências;
05) – Situação do IPSEMA.

O SINTRASEMA conta com a presença maciça de todos os servidores públicos, para juntos lutar pelos seus direitos. “Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles”, afirmou o Presidente, Antônio Francisco Melo da Silva., 

Há rumores, de que servidores ficarão de fora da manifestação, por medo de possíveis represálias e punições administrativas. O povo quer saber! Os servidores ficarão ‘amordaçados’ diante de tanta crueldade da atual gestão ou irão mesmo ás ruas lutar pelo seus direitos??