Ex-Conselheira Tutelar, Catarina Oliveira é pré-candidata a vereadora pelo MDB em Cidelândia-MA

Ex-Conselheira Tutelar, Catarina Oliveira é pré-candidata a vereadora pelo MDB em Cidelândia-MA

previous arrow
next arrow
Slider

Catarina Mendes de Oliveira é filha de João Virgínio de Oliveira, conhecido popularmente como (João Vaqueiro) e Lindalva Mendes de Oliveira.  Evangélica, casada com Josevan Oliveira filho do (saudoso Zé Garimpeiro) e Maria Alzira, ambos residem em Cidelândia.  Mãe de duas filhas, a primogênita é advogada; a outra outra é estudante do ensino médio/curso técnico informática no IFMA/Imperatriz.

Catarina é formada em Historia/UEMA e com pós-graduação em área especifica de História. Seu engajamento nos movimentos sociais, contribuiu de forma decisiva no seu trabalho como conselheira tutelar durante dez anos, uma caminhada longa e cheia de dificuldades, tropeços, alegria e tristezas, porém com muita responsabilidade e seriedade construiu uma trajetória de muita superação.

Além de atuar em defesa dos direitos da criança e adolescente, atua em defesa dos direitos das pessoas com necessidades especiais, pois conhece de perto a falta de apoio e a necessidade de implementação de políticas públicas voltadas para este público em Cidelândia. Por esses e outros motivos, decidiu entrar na política com o apoio de familiares, amigos e pessoas de várias comunidades, tendo em vista, a necessidade de aumentar a participação feminina como representante na Câmara e que se identifique com inúmeras demandas que as comunidades necessitam.

Catarina, ex-conselheira tutelar

De acordo com Catarina, as mulheres precisam romper barreiras, ainda predominantes na política. O preconceito de mulheres na política é um dos principais problemas a serem enfrentados, as mulheres precisam se unir mais, para terem uma participação máxima e mais efetiva, para juntas poderem dá contribuição maior na sociedade e lutarem mais pelos seus direitos de igualdade.

Apesar de existir uma cota de 30% de mulheres na política, esse número muitas vezes podemos perceber a desigualdade, a falta de apoio às mulheres nos últimos resultados das eleições. Um exemplo é que hoje, entre 9 vereadores em Cidelândia tem apenas uma mulher.

“Nessa representação política atual podemos observar que as mulheres estão praticamente fora da política, precisamos reverter esse quadro”, disse a pré-candidata.

Catarina afirma ser uma mulher de fé e coragem, pois está ciente dos desafios a serem enfrentados, mas o seu interesse em colocar seu nome não é apenas para cumprir o coeficiente necessário que o partido deve ter para ser considerados legais no processo eleitoral. Pelo contrario, coloca os seus conhecimentos políticos e acadêmicos à disposição da população, por acreditar que, na Câmara, terá condições concretas e objetivas de continuar contribuindo com o presente e o futuro de Cidelândia. Em meio a uma enorme crise que vive o país, o poder legislativo é um espaço importante para apresentação de propostas, de debates e de intervenção positiva na política local.

Estou colocando meu nome por considerar-me uma pessoa íntegra, sempre trabalhando com honestidade, humildade, perseverança e luta. Conheço bem as funções de um vereador, sei que nesse contexto atual da política brasileira é desafiador, mas coloco meu nome para que toda população possa avaliar. Espero que cada eleitor saiba ser consciente, pois é muito importante participarmos do processo democrático brasileiro com consciência e determinação, e que Deus nos abençoe sempre, finalizou Catarina.