ALGUÉM ACREDITA? Em depoimento, enfermeira afirma que não queria atropelar cachorros em rua de São Luís

ALGUÉM ACREDITA? Em depoimento, enfermeira afirma que não queria atropelar cachorros em rua de São Luís

previous arrow
next arrow
Slider

Investigada pelo atropelamento dos cachorros Pepe e Duquesa no bairro Residencial Pinheiros, em São Luís, a enfermeira Ana Giselly Ferreira Atan se apresentou de forma espontânea na Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema) e prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (16). Acompanhada por advogados, Ana Giselly negou ter atropelado os animais de propósito e disse que sua intenção era de afastá-los de pessoas que estavam na rua.

A delegada Caroliny Fernanda dos Santos Santana confirmou que Ana Giselly Atan responderá pelo crime de maus tratos a animais, com pena de detenção entre três meses e um ano. Como um dos cachorros morreu, essa pena pode subir para um ano e dois meses. Além disso, a delegada informou que Ana Giselly ficará em liberdade até o fim do processo.

A versão apresentada por ela é que não tinha intenção de maneira alguma de matar os animais, mas que ela estava acompanhando os cachorros, pois estariam avançando em algumas pessoas e a intenção dela era só afastá-los. Ela foi ouvida e liberada, pois ela não foi presa em flagrante. As partes são ouvidas, testemunhas são ouvidas, e o procedimento é encaminhado para o juizado, onde haverá uma audiência com o juiz”, armou a delegada.

Entenda o caso
Um vídeo, mostrando dois cachorros sendo atropelados cruelmente em uma rua no Residencial Pinheiros, circulou nas redes sociais e revoltou a população. As imagens foram feitas por uma câmera de monitoramento. Nas imagens, Ana Giselly Atan aparece em um carro modelo Honda HRV, placas PSV-9431, e atropela os cachorros de forma covarde, sendo que um deles morreu no local. Ainda no vídeo, é possível ver um dos animais saindo muito machucado e mancando após o atropelamento.

Um novo vídeo, divulgado na noite desta quinta-feira (16), aponta que Ana Giselle Atan teria premeditado o atropelamento. Dentro do carro, ela segue um dos cachorros, que caminha pela calçada, e espera até a hora em que os dois animais param na frente do carro. Em seguida, a enfermeira comete o atropelamento.

Repercussão
Através da vice-presidente da Comissão de Defesa e Proteção dos Animais, Luciana Araújo mLauande, a Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA) disse que está acompanhando o caso junto à Delegacia Especial do Meio Ambiente. “Sabemos que a pena nesses casos é pequena demais diante de tamanha maldade. Nada, exatamente nada, justifica a frieza com a qual esse crime fora cometido”, afirmou Luciana Araújo.

Por meio de nota, o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-MA) repudiou veementemente o ato praticado por Ana Giselle Atan e disse que serão tomadas providências cabíveis contra a enfermeira. O Coren relatou ainda que está aguardando os desdobramentos do caso e acompanhando o trabalho das autoridades competentes para auxiliar no que for possível. A Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), onde Ana Giselly Atan trabalha, se pronunciou através do presidente Vanderley Ramos. Em seu perfil no Twitter, Vanderley confirmou o afastamento da enfermeira da empresa.

A respeito do episódio envolvendo a empregada da EMSERH, Gisely Atan, apesar de ocorrido no ambiente de sua vida privada, quero expressar o sentimento de toda a empresa de profunda indignação e desaprovação, informando que a empregada já se encontra suspensa de suas funções”, disse o presidente da EMSERH.

Do Imirante